O coven.


A noite estava fria, nuvens encobriam as estrelas e as nuvens, eu voltava para casa após um dia cansativo no trabalho onde várias coisas deram errado, estava muito mais tarde do que o normal, eu caminhava apressadamente não por medo de algo minha cidade era calma apenas queria chegar em casa deitar em minha cama e dormir, esquecer todos os problemas do trabalho e descansar.

 Já estava próxima a minha casa quando comecei a ouvir sons estranhos, pensei em ver o que era, mas  não sabia que sons eram aqueles e minguem parecia estar em perigo, continuei a caminha para minha casa, os sons aumentavam estava curiosa percebei que eu caminha na direção do som talvez no caminho eu conseguiria ver o que era aquilo.

Eu estava a apenas duas casas antes da minha o som estava a algumas casas após a minha não tinha dúvida disto. Parei em frente à minha casa aquele som me atraia por algum motivo, dês que me mudei para aquela rua nunca ouvira qualquer tipo de som alto das casas vizinha, aquele deveria ser um morador novo não me lembrava de nem uma casa para vender ou alugar, era apenas duas ou três casas a frende por que não ir até ela e dar uma olhada?

Passei a próxima casa o som agora parecia uma cantiga, não conseguia compreender as palavras mas sentia elas acalmando minha mente, o cansaço daquele dia deixava o meu corpo, eu precisa ouvir melhor eu precisa saber o que era aquela canção de onde vinha quem a cantava, por que ela me acalmava e me fortalecia.

A próxima casa, a porta estava aberta, um luz azul emanava pela a porta, eu ainda não compreendia a canção apenas tinha a certeza que eu devia me juntar aquelas pessoas mesmo não sabendo quem ela eram nem por que estavam ali, eu pertencia aquele lugar eu precisa me aproximar de lá eu precisava daquela canção.

Entrei na casa minguem me impediu ou falou comigo, um grupo de homens e mulheres estavam sentados na sala, cada um em uma posição, com roupas do dia-a-dia, cantavam com os olhos sentados minguem se incomodou com a minha presença, me sentei encostada em uma parede com as pernas cruzadas, por algum motivo eu sabia o que fazer sabia que precisava começar outra canção e todos ali me acompanharam.

A nova canção me despertar, todo o cansaço daquele dia abandonou o meu corpo, toda a frustação por tudo o que acontecera comigo naquele dia se apagou, eu despertara para uma nova vida eu era uma nova pessoa eu sabia que nada daquilo tinha importância. Um sentir um novo poder crescendo em meu peito, eu estava despertando para quem eu realmente era.

A sessão de paz em mim era algo que nunca imaginei sentir pois naquele momento eu soube que eu era o que eu era e quando esta certeza domou conta de mim toda aquela energia deixou o meu corpo, eu abri os olhos e vi uma luz dourando deixando o meu corpo as pessoas a minha volta se levantaram eu sabia exatamente quem elas eram e que estavam ali por mim.  Não pela a médica cirurgião que nunca perdera um paciente, eles estavam ali para a grande bruxa líder do coven.   

 Entre no nosso apoia.se e ajude a aumentar os conteúdos dos blogs e do nosso Instagram https://apoia.se/eumaiseumaisalguem

Nós siga no Facebook para receber notificações de todos as postagem dos blogs e novidade https://web.facebook.com/EuMaisEuMaisAlguem/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s